Após 16 anos, Marcelo Freixo deixa Psol, se filia ao PSB e anuncia pré-candidatura a governador do Rio

Um dos políticos mais simbólicos do partido, deputado Marcelo Freixo confirma saída da sigla e diz que vai concorrer a governador do Rio de Janeiro para enfrentar uma luta 'da civilização contra a barbárie'

Reprodução
Credit...Reprodução

Após 16 anos na legenda e sendo um de seus maiores representantes, o deputado federal Marcelo Freixo deixou o Psol e confirmou sua filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). E anunciou também sua pré-candidatura a governador do Rio de Janeiro. Freixo terá o apoio do ex-presidente Lula para a empreitada.

No Twitter, Freixo contou um pouco de sua história junto ao partido dizendo que mesmo não fazendo mais parte da legenda, ele e seus colegas psolistas continuaram juntos "na mesma trincheira de defesa da vida, da democracia e dos direitos do povo brasileiro".

Freixo também chamou atenção para o fato de que as eleições de 2022 "serão um plebiscito nacional sobre a Constituição de 1988", se ela "ainda existir". Para o deputado, a democracia está em risco com o bolsonarismo e, portanto, é um "dever histórico derrotar Bolsonaro nas urnas e o bolsonarismo enquanto projeto de sociedade".

Sobre sua filiação ao PSB e a candidatura a governador, Freixo disse, em entrevista à revista Veja: "A mudança faz parte de um projeto nacional que também inclui a filiação ao mesmo partido do governador do Maranhão, Flávio Dino [do PCdoB]. No meu caso, estou olhando para dois cenários, o do Rio e o nacional. Falta mais de um ano, mas estou à disposição para construir essa alternativa para o Rio", disse o deputado.

Ainda sobre as eleições para o ano que vem, Freixo diz que mais do que ser uma disputa entre a direita e a esquerda, se constitui nesse momento "uma luta da civilização contra a barbárie".

"A disputa no Rio, especialmente, não é da direita contra a esquerda, mas da civilização contra a barbárie. O Psol estará conosco, mas, sem dúvida, teria mais dificuldades de fazer uma frente tão abrangente quanto a que se faz necessária", explica.

Atualmente, Marcelo Freixo é um dos principais atores da oposição no país, sempre chamando atenção para questões sociais, educacionais e de direitos humanos. Foi com sua liderança que aconteceu as CPIs das Milícias, do Tráfico de Armas e Munições e dos Autos de Resistência no Rio de Janeiro, as denúncias sobre os esquemas de corrupção ligados aos ex-governadores Sergio Cabral e Pezão também tiveram amplamente sua participação.(com agência Sputnik Brasil)