Johnson do Reino Unido enfrenta mais questões sobre gastos pessoais

.

 Aaron Chown
Credit... Aaron Chown

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, enfrentou mais acusações neste domingo sobre seus gastos com a reforma de seu apartamento e com os cuidados infantis de seu filho, o que seu ministro das Relações Exteriores considerou como fofoca infundada.

Johnson resistiu repetidamente a gafes, crises sobre o Brexit e revelações de seu adultério, mas a revelação de que ele e sua noiva, Carrie Symonds, gastaram ricamente para redecorar sua residência com um estilista festejado pela realeza, tocou os nervos de alguns britânicos.

Um dos líderes da campanha de 2016 para deixar a União Europeia, Johnson está lutando com uma torrente de acusações sobre seus gastos e a gestão de sua equipe principal no governo britânico, o que os oponentes dizem que mostram que ele é impróprio para o cargo.

Johnson disse repetidamente que pagou pela reforma de seu apartamento em Downing Street, mas a Comissão Eleitoral afirma ter motivos para suspeitar que um crime foi cometido no financiamento da obra.

O "Sunday Times" disse que o custo total da obra foi de cerca de 200.000 libras (US$ 276.000) e que uma fatura foi liquidada diretamente por um doador do Partido Conservador - um benefício em espécie que deveria ser declarado às autoridades fiscais.

O jornal também informou que um doador do Partido Conservador foi convidado a pagar por uma babá para o filho mais novo de Johnson, Wilfred.

"Não me importo em pagar por panfletos, mas me ressinto de ter que pagar para literalmente limpar o traseiro do bebê do primeiro-ministro", disse o doador não identificado.

O escritório de Downing Street de Johnson não tratou dos custos de reforma relatados, mas disse em um comunicado: "O primeiro-ministro cobriu os custos de todos os cuidados infantis."

O Partido Conservador se recusou a comentar o relatório.

O secretário de Relações Exteriores, Dominic Raab, se recusou a responder diretamente quem pagou inicialmente pelo trabalho e disse que "não tinha ideia" se um doador foi solicitado a pagar pela creche de Johnson.

"A última questão sobre a qual você perguntou é um exemplo de tagarelice", disse Raab à Sky TV. Ele disse que Johnson foi "cristalino" sobre as despesas com a reforma do apartamento.

Antes das eleições locais de quinta-feira na maior parte da Grã-Bretanha, algumas pesquisas de opinião mostram que as avaliações de Johnson caíram. Seu partido também enfrenta uma eleição parlamentar em Hartlepool, no norte da Inglaterra, que o Partido Trabalhista de oposição controla há décadas.

Tanto o alvoroço sobre o custo da reforma de Downing Street que Johnson na semana passada chegou a expressar seu "amor" por John Lewis, um varejista adorado por milhões de eleitores britânicos.

A revista "Tatler" citou uma fonte não identificada dizendo que o trabalho melhorou o apartamento depois do "pesadelo da mobília John Lewis" herdado da ex-primeira-ministra Theresa May.(com agência Reuters)