Bola fora: Novak Djokovic será deportado da Austrália, decide justiça

O negacionista Novak Djokovic foi inicialmente detido pelas autoridades australianas em 6 de janeiro, quando chegou para participar do Aberto da Austrália, por se negar a tomar a vacina contra covid

Foto: Reuters / Kelly Defina
Credit...Foto: Reuters / Kelly Defina

Um tribunal federal australiano determinou neste domingo (16) que Novak Djokovic será deportado do país, mantendo seu último cancelamento de visto.

De acordo com o tribunal, a decisão judicial foi baseada na legitimidade e legalidade da decisão do ministro de revogar o visto de Djokovic.

"Não faz parte da função do tribunal decidir sobre o mérito ou sabedoria da decisão [do governo]", disse Allsop, enfatizando que o veredicto foi unânime entre os três juízes. Prevê-se que os fundamentos da decisão sejam emitidos nos próximos dias.

Djokovic venceu a primeira rodada de audiências judiciais sobre o cancelamento de seu visto, no entanto, o ministro da Imigração Alex Hawke revogou seu visto, citando interesse público.

O veredito levou em consideração os argumentos apresentados pelo governo, sugerindo que a presença de Djokovic no país pode representar perigo para saúde pública, uma vez que estimula o "sentimento antivacinação".

 

 

Esta decisão significa que a estrela do tênis não poderá participar no Aberto da Austrália, apesar de ele já ter sido sorteado para jogar contra o também sérvio Miomir Kecmanovic na primeira rodada na segunda-feira (17). Isso também significa que Djokovic não poderá solicitar um visto australiano nos próximos três anos.

O visto de Djokovic foi cancelado porque as autoridades australianas descartaram as razões médicas que o ajudaram a obter uma isenção da vacinação contra covid-19 – que é obrigatória para todos os participantes do Aberto da Austrália. (com agência Sputnik Brasil)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais