Nova rota marítima entre Brasil e China acelera chegada de carnes brasileiras à Ásia

Cerca de 84 toneladas de carnes congeladas brasileiras chegaram nesta terça-feira (11) ao município de Chongqing, no sudoeste da China, por meio de um novo corredor de comércio internacional marítimo-terrestre, segundo a empresa que opera essa rota.

Macaque in the trees
Embarcação recebe contêineres em porto dos EUA em direção à China (Foto: AP Photo / Stephen B. Morton)

É a primeira vez que Chongqing importa carne bovina congelada brasileira por meio desse corredor, o que reduz muito o tempo de logística necessário para o comércio de produtos cárneos entre a China e o Brasil, disse a empresa.

A carne bovina no valor de quase quatro milhões de yuans (R$ 3,1 milhões) levou 48 dias para chegar ao município chinês, o que é cerca de 20 dias a menos do que o tempo gasto nas rotas tradicionais de frete, afirmou Wang Yupei, presidente da companhia.

A entidade que opera o corredor anunciou que Chongqing importará regularmente produtos de carne no futuro. As remessas importadas entrarão nos mercados vizinhos por meio da ferrovia, rodovia e outros canais de logística da cidade.

A nova rota de trânsito marítimo-terrestre é um corredor comercial e logístico construído em conjunto pelas regiões provinciais ocidentais da China e os países da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), incluindo Singapura.

O corredor atualmente lida com 234 portos distribuídos em 92 países e regiões. Chongqing é o centro operacional desse corredor comercial. As mercadorias das províncias e regiões ocidentais da China são transportadas primeiro para o golfo de Beibu, na região autônoma de Guangxi Zhuang, no sul da China, antes de serem enviadas para outras partes do mundo ao longo das rotas marítimas.

Entre setembro de 2017 e 30 de junho deste ano, um total de 1.966 trens transportando mercadorias percorreram esse novo corredor de trânsito marítimo-terrestre. (Com agência Sputnik Brasil)