Eletrobras, Cepel e Siemens Energy assinam memorando sobre hidrogênio verde

.

REUTERS/Brendan McDermid
Credit...REUTERS/Brendan McDermid

A Eletrobras, a Siemens Energy e o Cepel concluíram a assinatura de um memorando que estabelece a realização conjunta de estudos para obtenção do domínio do ciclo tecnológico completo do hidrogênio verde (H2) no Brasil, desde sua produção até o consumo, em dimensão de uma planta de produção piloto escalável, que permitirá expansões futuras e atividades complementares. A partir dos resultados dos estudos, as empresas envolvidas poderão avançar para a implantação de uma usina de produção de H2 em escala comercial, que produzirá hidrogênio com pegada de carbono zero.

A Eletrobras tem o crescimento de forma sustentável entre suas diretrizes estratégicas e, neste sentido, tem interesse em avaliar as variáveis críticas para o domínio do ciclo tecnológico do H2. O Cepel, braço tecnológico da Eletrobras, estuda a produção de hidrogênio através do processo de eletrólise há duas décadas e vem atuando nos aprofundamentos de pesquisas para avanços práticos no domínio deste modelo de negócio.

Nos últimos dez anos, a Siemens Energy tem desenvolvido eletrolisadores baseados na tecnologia PEM (sigla para membrana de troca de prótons, em inglês), a tecnologia mais moderna e ecológica para a produção de hidrogênio verde. Um grande marco foi o lançamento do eletrolisador Silyzer 300, da ordem de 17 MW, há três anos. A Siemens Energy está constantemente trabalhando em aumentar sua eficiência e capacidade instalada, sendo que uma nova geração tem sido lançada a cada quatro ou cinco anos, com aumento em dez vezes na vazão de H2 produzido.

“A Eletrobras tem interesse na avaliação do ingresso no setor comercial adjacente de produção de hidrogênio. Para tanto, pretende desenvolver e implantar um projeto para a utilização de hidrogênio verde no Brasil, que deverá contribuir para a avaliação deste novo campo potencial de negócios, proporcionando condições e conhecimentos para a inserção da Eletrobras no domínio do ciclo tecnológico do hidrogênio verde”, afirma o diretor de Transmissão da Eletrobras, Marcio Szechtman.

“Globalmente, a Siemens Energy é uma fornecedora líder de sistemas, soluções e serviços relacionados à descarbonização. Tendo no Brasil seu hub de hidrogênio verde para a América Latina, apoiar a Eletrobras tecnologicamente nesse projeto inovador é profundamente estratégico. Com a Eletrobras e o Cepel, temos dois parceiros ideais para desenvolver a integração da nossa tecnologia dentro do marco regulatório brasileiro, preparando soluções aplicáveis para o mercado nacional”, afirma o head de New Energy Business para a América Latina na Siemens Energy, Andreas Eisfelder.

As pesquisas com hidrogênio apontam este gás como o vetor energético da economia do futuro, alinhado com o atual cenário energético-ambiental caracterizado pela necessidade de descarbonização. O hidrogênio é um dos sete temas prioritários de pesquisa e desenvolvimento, de acordo com as orientações do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).

“Esperamos que esta atuação conjunta contribua para que o Brasil se afirme como um grande produtor mundial de hidrogênio verde e para a descarbonização do setor elétrico de uma forma geral. Potencial para isso nós temos, à medida que o combustível é produzido a partir da eletrólise da água mediante a utilização de energia elétrica obtida de fontes renováveis, como hidráulica, solar e eólica”, avalia o diretor-geral do Cepel, Amilcar Guerreiro.