Crítica - ‘Um dia para sempre’: comédia romântica alemã bobinha, com pegada de ‘feitiço do tempo’

Cotação: duas estrelas

Foto: Gordon Timpen/divulgação
Credit...Foto: Gordon Timpen/divulgação

Nem sempre temos a oportunidade de ver uma comedia alemã em cartaz nos cinemas brasileiros. Geralmente, estamos mais acostumados com dramas ou filmes ‘de arte’. Pois este ‘Um dia para sempre’ (‘Hello Again: a Wedding Day’, em inglês; ‘Hallo Again’, em alemão, filme foi feito para tentar o mercado internacional) vem para quebrar esse clichê.

Acompanhamos a confusa Zazie (Emilia Schüle), que, ao receber o convite para o casamento de seu melhor amigo - com quem teve um caso no passado - Philipp (Tim Oliver Schultz), com sua arquirrival Franziska (Alicia von Rittberg), entra em pânico. Ela acha que precisa salvar seu amigo/peguete do que pensa que será erro de sua vida. Será mesmo?

Contudo, por causa de um loop temporal (numa onda meio ‘Feitiço do tempo’, aquele filme do Dia da Marmota, com Bill Murray), a manhã do casório fica se repetindo continuamente, levando Zazie a revivê-lo todos os dias. Entrementes, ela vai se aproveitando disso para consertar coisas de sua própria vida.

O tema é explorado de forma previsível (embora o filme evite a repetição pura e simples e aponte para outros caminhos); e recentemente já foi bem melhor reciclado/explorado na comédia de terror teen ‘A morte te dá parabéns’. Os alemães se saem melhor fazendo dramas e filmes ‘cabeça’. Mas este diverte.

_______

COTAÇÕES: ***** excelente / **** muito bom / *** bom / ** regular / * ruim / bola preta: péssimo.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais